30 julho 2007

Temos que redividir o Brasil ?

Interessante o que se passa no nosso país: seguido à uma crise de desfalques que acabam em "pizzas", sai do fundo do baú um grande questionamento feito proposital, para lavar a nossa memória. A novidade, que não é tão novidade, renasce das cinzas das "pizzas": QUEREM REDIVIDIR O BRASIL.
Eu garanto que o povo nem se lembra mais das falcatruas recentes. Tudo deu em nada e agora eles (os políticos) nos apresentam outro prato para nós digerirmos.
Os Estados a serem criados nesta proposta de redivisão são: Gurguéia, no Piauí; Maranhão do Sul, no Maranhão; Rio são Francisco, na Bahia; Mato Grosso do Norte em Mato Grosso e Carajás, no Pará. Andaram falando até em redividir a Amazônia, mas por enquanto é só cogitação.
Você pode crer que nas intenções destas redivisões têm interesse político, sim ! Você deve saber, tanto quanto eu, que a criação de um estado gera vagas na teta da vaca, não é? Pois, se forem criados estes estados, eles gerarão 144 cadeiras de Deputados Estaduais, 48 de Deputados Federais e 18 Senadores. Cada um mamando na teta da vaca brasileira. Cada um mamando no meu bolso e no bolso de cada brasileiro.
Os estados existentes, grandes estados dentro de um grande Brasil, se queixam de estarem ignorados pelos governantes, sentem-se abandonados e são palco de latifúndios desde os tempos do Império. Mas, estes estados têm representantes no Congresso e o que é que estes representantes fazem pelos seus estados? Você eleitor, já perguntou aos Senadores e Deputados Federais que você elegeu, o que ele faz pelo seu estado? E você tem o direito de perguntar alguma coisa? Mas você votou neles.
No caso de estados com reserva ecológica mundial, como é a Amazônia, se.... eu digo se, ela for também dividida, você imagina qual será o fim deste paraiso terrestre? Novos estados exigem construção de novas capitais. Novos estados devastam regiões importantes. Novos estados oneram o bolso da Nação.
Aposto que você nem pensa mais nas falcatruas dos políticos, pensa? Eles têm que desviar sua atenção sobre todas as misérias praticadas, pois vamos entrar em ano de eleição.
Obrigada Cazuza por me lembrar essa música:

Não me convidaram / Prá esta festa pobre / Que os homens armaram
Prá me convencer/ Apagar sem ver / Toda essa droga
Que já vem malhada / Antes de eu nascer...

Por Alda Inacio

3 comentários:

Anônimo disse...

Realmente este é um assunto preocupante. E para mim me passa pela mente quando da primeira invasão em 1500. Chegaram distribuíram grandes extensões de terras e foram dominando e somo dominados até hoje. E esta história de criação de novos Estados é justamente para acomodar novos donos, novos políticos que não sabem fazer outra coisa a não ser tristemente mamar nas tetas.
Muito obrigada Alda por estas informações, pois eu não estava sabendo de mais essa.

Antonieta

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sinto que temos em comum esta vontade de justiça, esta indignação por um mundo que não se compadece dos mais fracos. A Alda é uma pessoa maravilhosa que tem aqui um património valioso de alertas e lutas, de cultura e persistência. Um grande abraço

M.M.MENDONÇA disse...

A luta pela justiça torna-nos mais fortes e solidários. Por isso, amiga Alda, vá em frente.

Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.