27 outubro 2007

A BUSCA ETERNA DA FELICIDADE

Creio que esta tal felicidade é um defeito do ego e sua presença mostra que não somos normais, o contrário do que aprendemos sobre ela. Verdade que nada tem sentido se não for para ser feliz. Isto é evidente, é jogo aberto, é procura constante e direcionamos tudo em prol de um pouquinho de felicidade.
Aprendemos a ver o riso como símbolo da felicidade e as lágrimas como reflexo da tristeza, mas tem gente que ri quando sofre. Eu presenciei este fato numa maternidade, onde a mãe gitava e ria enquanto a filha nascia. Neste caso, a emoção provocou um choque histérico que manifestou-se no riso descontrolado.
Mas, no geral, a felicidade dura o suficiente, a ponto de trazer compensação do esforço que fizemos para obtê-la?
Não sei se é esta tal felicidade o que buscamos nas nossas ações. Creio que nossa procura não seja pela felicidade mas, pela busca do equilíbrio, pois se compararmos as duas sensações, podemos deduzir que o equilíbrio, uma vez encontrado pode durar enormemente, se bem cultivado. No entanto a felicidade, não passa de alguns minutos. Talvez por ser assim tão rara, tão ontológica é que esta felicidade vem e parte.

Sob um outro ângulo, poderíamos nos perguntar se um indivíduo normal é capaz de sentir felicidade ? Pode parecer estranha esta pergunta ou, mal elaborada e ela me parece lógica se levarmos em conta todo o sofrimento da humanidade bombardeado em nossos ouvidos e diante dos nossos olhos diariamente. Considera-se um indivíduo normal aquele que tem reações humanas, portanto: vê o sofrimento dos irmãos e sofre pela humanidade. Então, se alguém é humano e normal, não poderia nunca sentir felicidade. Nem poderia ser diferente, se olharmos o mundo , onde tantos irmãozinhos estão com fome, enquanto eu rio a me deliciar na mesa... tantos irmãoszinhos estão doentes, enquanto a felicidade bate na minha porta.

Bem que podíamos dividir esta raridade com toda a humanidade e talvez assim a felicidade viesse e ficasse por muito tempo em todas as vidas.

Por Alda Inacio

13 comentários:

Crítica e denúncia disse...

Se este banner que eu copiei do teu site fostes tu quem fizstes Silêncio Culpado, perdoe mas foi paixão à primeira vista e copiei.
Bjim Alda

RABISCOS DIGITAIS disse...

alda, muito emocionada querida
apesar de ter uma grande quantidade de blogs e visitar muitos, mas normalmente em silêncio, sem contato...e muito raramente eu deixo comentário, pois falta-me jeito pra isto e quando deixo é pedindo autorização para ilustrar alguma poesia que eu tenha gostado...
bem, obrigada de coração...e estou te enviando 2 banners e em breve poderei fazer muitos outros...se me permitir! quero que saiba que mesmo não nos conhecendo te admiro muito e digo o mais... não só pelo blog, querida! me tocou muito o teu site sobre pedofilia... coisa que não aceito em hipótese nenhuma como eu te disse em e-mail outro dia!
obrigada pela atenção e carinho, pela oportunidade que estou tendo e quero te dizer que posso ajudá-la todas as noites quando chego de meu trabalho, é só dizer o que vc precisa que dividirei isto contigo, com muito prazer em poder ser útil a esta causa,entendeu?
abra teu e-mail, querida
muito obrigada e fique com Deus sempre!

RABISCOS DIGITAIS disse...

alda,querida
mais e-mails pra você e com banners! esqueci que tinha mais em meu pc e como sou doida mesmo...n]ao enviei na primeira leva! um abraço! estarei por aqui se precisar!

7 Pecados Mortais disse...

Amiga, não há duvida a felicidade é momentânea. Nunca a conseguimos ter todos os dias, da mesma forma, com o mesmo sentir. Vivemos o dia a dia em busca de felicidade, mas não vale a pena, pois ela surge por momentos. Surge e sentimo-nos felizes, mas logo de seguida, buscamos mais, nunca estamos satisfeitos, é do ser humano, um defeito de nascença...Amiga esta banner já é oficial? Já se pode colocar nos nossos blogues? Eu tenho um que você já mencionou nos s.o.s miséria. Aparece no meu que tenho um comentário novo e você deixa lá a resposta a estas perguntas. Beijos. Alguma duvida me questione.

antonio disse...

A felicidade passa por nos deixarmos amar e isso implica proximidade com o nosso irmão, mesmo que ele esteja no Darfur.

Só quem se deixa amar encontra o verdadeiro amor e é feliz.

SILÊNCIO CULPADO disse...

A felicidade é, antes de tudo, uma filosofia de vida. É preciso saborear, enquanto podemos, o que de bom a vida tem. Há pessoas que têm tudo para serem infelizes mas, por uma insatisfação cega e ânsias de poder desmedidas, deixam de saber amar as coisas simples e desprezam as generosidades da vida. Nós podemos ser felizes de várias maneiras. Mas, como dizes, temos que procurar sempre o equilíbrio interior e estar em paz com a nossa consciência.
É evidente que estou a falar de pessoas que têm as necessidades básicas resolvidas e que não enfrentam problemas de doenças graves ou de morte de entes queridos. Esses sim os grandes problemas que nos roubam a felicidade. Quem não está nessas circunstâncias é feliz, de certeza, só que pode não ter dado ainda por isso e ser uma vítima de si própria.

Crítica e denúncia disse...

Tu tens razão Silêncio Culpado, temos que tentar ser felizes, mas para quem tem o equilíbrio como felicidade, penso que vai mais longe.

Aqui eu quis dividir a felicidade, como quem parte um pão e dá um pedaço à quem nada tem. Seria bom sermos felizes por igualdade de direitos, pelo menos do direito à comer.
Beijinho e obrigada a todos.

Alda

C Valente disse...

Com a felicidade trás muitos modos de sentir, e de demonstrar
O riso, a lágrima, o choque, o embargo da fala, Tudo, mas o importante importante é a conseguir alcançar essa felicidade, nem que seja por breves momentos
Saudações amigas com um beijo

NÓMADA disse...

A felicidade é algo inatingível porém podemos caminhar para um bem estar e uma vida preenchida se soubermos utilizar sabiamente as nossas faculdades e os bens que são colocados no nossso caminho.

NÓMADA disse...

A felicidade é algo inatingível porém podemos caminhar para um bem estar e uma vida preenchida se soubermos utilizar sabiamente as nossas faculdades e os bens que são colocados no nossso caminho.

NINHO DE CUCO disse...

A felicidade existe e está em nós mesmos. Por vezes procuramos o que temos mesmo junto a nós. Recordo-me de ter lido um livro em que o escritor aconselhava a que representássemos os bens que possuímos como se os tivéssemos perdido. É que, não raras vezes, só sabemos dar valor às coisas que temos depois de as termos perdido.

Peter disse...

"Considera-se um indivíduo normal aquele que tem reações humanas, portanto: vê o sofrimento dos irmãos e sofre pela humanidade."

Concordo.

Coloquei o seu blog nos n/links, sob a referência Alda Inácio e difundi a sua ideia da Campanha contra a Pobreza por outros blogues amigos.

antonio disse...

A felicidade não é um projecto pessoal, os que a julgam encontrar dentro de si, apenas conseguem momentos de euforia. Somos seres afectivos e relacionais, é por aí que se trilha o caminho da felicidade.

Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.