18 novembro 2007

A DIFÍCIL ARTE DE SER VOVÓ

A vida passa e acabamos sendo vovôs e vovós um dia; no meu caso, este dia chegou duas vezes e virá uma terceira vez em maio. A primeira vez veio a neta Ana Clara que está com nove anos e vive no Brasil. Depois veio a neta Sabine que vive na Bélgica. Sabine está com dois anos e meio e fala três línguas, Português com a avó, Francês com a mãe (falam francês em casa) e Nederlandês com o pai e na escola. Sim ! Ela acaba de entrar para a escola.
Eu sou uma "avó coruja" e quando ligo para minha neta no Brasil é uma festa, pois aquela menina é de uma inteligência admirável e nossos "papos" são positivos, de muita sabedoria.
Já Sabine, está na fase de aprender as labutas do lar e quer lavar louça com a mãe. No domingo passado eu fui jantar na casa de minha filha e depois fui ajudar a arrumar a louça a três. Minha filha lavava, Sabine de pé sobre um banco secava os plásticos e eu secava os vidros. Minha função era também a de colocar os objetos no armário e neste ponto eu tive um pequeno problema. Cada vez que eu pegava um plástico e via que haviam gotas d'água, mal seco pela pequena Sabine, ai de mim se tentasse secar. Sabine me retruva de cara fechada "está seco vovó" e eu nem podia experimentar secar de novo pois sairia briga.
Sinto alegria de estar com ela e viro garotinha de 15 anos, danço, canto, faço palhaçada... E não pensem que agradar uma criança é fácil. Preciso ser muito criativa para agradá-la. As vezes viajo com eles, e vamos no carro, eu e Sabine escutando música no meu "balador" boto um fone no ouvido dela e outro no meu e curtimos um som da pesada (som na altura do ouvido infantil, sem exageros)
As dificuldades de ser vovó vem do fato que, a esta altura seria bom que a vovó tivesse tempo disponível, pudesse paparicar mais os netos. No entanto a vida nos obriga a ter estes contactos esporádicos. E no próximo ano virá mais um neto ou neta, lá no Brasil, por parte da minha filha que é sargento, mãe da Ana Clara e vou ser avó pela terceira vez.
São estas as poucas alegrias da minha vida as quais agradeço sinceramente a Deus.
Por Alda Inacio
Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.