15 dezembro 2007

O racismo embutido em histórias infantis

As festas de fim de ano se aproximam e como eu terei que ficar aqui na Europa, sem poder ver meu filho no Brasil, ando sem vontade de escrever, sem inspiração. No entanto tenho gritado um bocado no SOS Miséria, onde tenho um compromisso de honra comigo mesma.
Mas o que me motivou este post foi o resultado de uma visita à minha neta ontem. Ela quer mostrar tudo que faz na escola à vovó coruja e veio lá com um recorte numa cartolina, onde via-se um negro com chapéu, cara de mau e a vovó que gosta de aprender foi perguntando o que era aquela figura. Sabine, que tem 2 anos e meio disse: Père Fouettard e a vovó ficou olhando sem nada entender. Foi aí que o pai dela, um Flamand nativo saiu do seu canto de isolamento e explicou : Père Fouettard, ou pai Fouettard, para que entendam melhor, é o acompanhante do São Nicolau e sai com ele para distribuir presentes no dia 6 de Dezembro, conforme a tradição aqui na Bélgica. Esta figura acompanha São Nicolau e distribui castigos às crianças que foram mal educadas e que não merecem presentes.
Amigos, eu fiquei de cabelos em pé ! Não era possível tudo o que sentia, sem exagero. Cheguei em casa e fui ler sobre Père Fouettard e assim vou descobrindo o que se passa no mundo em torno de racismo, a começar com as pequenas criancinhas. Tudo já está incrustado, embutido nas histórias infantis e o adulto não tem como desvencilhiar-se desta herança.
Como é que um adulto que pintou o Père Fouettard na escola e aprendeu a não gostar dele, sendo ele negro, não vai gostar de nenhum negro, minha gente !
Eu juro para vocês que, quanto mais conheço a história da humanidade, mais decepcionada fico. E a gente gasta saliva com estas pessoas, falando contra racismo e diante de nós a pessoa afirma que não é racista. Lembro-me de uma pessoa que dizia "eu não sou racista, tenho até amigos negros". Vamos de mal a pior aqui na terra pessoal. Pobre dos nossos filhos e netos ! O que lhes reserva o futuro? Só Deus sabe.
Por Alda Inacio
Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.