16 fevereiro 2008

Games, jogos de guerra na Internet, exemplos de violência praticada por nossos filhos

Gente boa ! Hoje temos sol em Bruxelas. Maravilha ! E aqui vai minha crítica contra a violência praticada por nossos filhos, todos os dias, horas e horas no computador, ou no Video Game matando inimigos virtuais, depois vemos os casos de assassinatos em grupos de Universidade se repetindo; desta vez foram 6 alunos em Northen Illinois nos Estados Unidos. Um aluno exemplar, que tomava remédios controlados, há poucos dias deixou de tomar os remédios, ontem entrou num palco da universidade, escondeu-se atrás das cortinas, sacou suas armas e matou cinco pessoas, depois suicidou-se.

Isto tem se repetido dia após dia no mundo inteiro e vocês acham que isto acontece por acaso? As crianças estão afixionadas por games e ali na tela do aparelho matam inimigos virtuais durante horas e horas, dias e anos e como diz na poesia que fiz fazem anos, onde falo que aos poucos vamos nos tranformando em pessoas frias, presas na corrente da vida, diante desta máquina e já nem sentimos amor pelos semelhantes, tudo passa a ser possível "a máquina apaga o coração" já nem sabemos mais o que é coração. Assim, sem refletir, podemos matar inimigos virtuais ou verdadeiros que tudo é a mesma coisa, já que os sentimentos, nesta máquina chamada homem, estão sendo mortos por falta de contato humano. Triste notícia, lamentável.
DELETE
(Poesia feita em 1999)
O homem preso na corrente
vai à luta, é valente!
Vê a vida na tela fria.
Deus.
Amor.
Filosofia.
Logos na mente, pés no chão...
"Computa-a-dor" mas não sofre,
alma de pedra, vive a razão.
A mão corre velozmente
abrindo a janela "word",
o peito sem emoção...
"Delete", um toque, nem sente
e a máquina apaga o coração.
Por Alda Inacio
Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.