28 outubro 2008

Os paraquedas dourados do capitalismo

Alô povinho sofrido do meu Brasil brasileiro, as finanças estão a pique no mundo e o tio Lula havia dito que nada atingiria o nosso país. Eu fiquei calada esperando o tio acordar e parece que acordou. Já ouvi ele falar que os Bancos estatais têm autorização para comprar os Bancos privados em crise. Agora, cá entre nós, sabemos que as grandes empresas trabalham com capital dos Bancos e estes estão vazios, negando financiamentos. Então como é que estas grandes empresas (supermercados) vão encher as prateleiras para que você e eu possamos ir comprar nossa comidinha de cada dia? O dinheiro entra na boca do caixa mas vai direto para pagamentos das dívidas da empresa...o capital de giro são os bancos que fornecem. Sem este capital de giro as prateleiras ficarão vazias, se a crise continuar. E prateleiras vazias significará mercadorias raras e CARAS. Veja lá a crise nos abalando bem no estômago. E o tio Lula não quer assustar a Nação brasileira, por isto fica tapando o sol com a peneira. Gente ! A menos que você também tenha um paraquedas dourado para te sustentar nesta fase atual, coitadinho de você e de mim.

Sabe gente, as leis que gerenciam este capitalismo selvagem dão proteção aos paraquedistas dourados, como tem sido o caso de muitos empresários europeus, um deles, como exemplo, Herman Verwilst que em Setembro, vendo o buraco que o Banco Fortis ia entrando, quis sair antes da queda e levaria consigo 5 milhões de Euros, ação esta impedida pelo governo belga. Outro famoso nesta empreitada foi o dirigente do Carrefour Daniel Bernad que levou ao sair 38 milhões de Euros. E aqui eu poderia citar uma lista tão grande que você nem pode imaginar.

E você acha que o buraco da atual conjuntura nós devemos a que, ou a quem? Se liga aí gente ! Os Bancos são formados de castelos de cartas, são formados de papéis.....dinheiro que é bom é o nosso colocado lá dentro que vai pagar o luxo e estravagâncias dos banqueiros, porque os bancários só vêem migalhas. O resto, o grosso da coisa, são empréstimos volumosos que os bancos fazem no exterior, se individam para construir agências monumentais e a economia se equilibra num papel penduado numa corda bamba. Os banqueiros? A nata desta podridão, cada um tem seu paraqueda dourado e a eles nada acontece. E nós? O jeito é vestir a camisa da esperança e sonhar com a Mega Sena.


Por Alda Inacio

Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.