19 dezembro 2008

Os correligionários no banco de espera

Falando um pouquinho de política, eu tenho acompanhado a saga de alguns amigos meus envolvidos no meio político e observo que estes dias que antecedem o primeiro de janeiro, dia da posse em todas as Prefeituras brasileiras, são de angústia e apreensão. Esta angústia atinge todos aqueles que na administração anterior tiveram seu emprego garantido e agora com a entrada de um novo Prefeito perderão seus empregos. Em outras situações, o Prefeito foi reeleito, neste caso tenho amigos que esperam para ver se serão empossados novamente no início de janeiro. Imaginem vocês passar o Natal sem emprego, sem saber se terão de onde tirar o pão nosso de cada dia no ano que vem.
A vida política é ingrata, muitos dos ajudantes nas eleições o fizeram para ter esta vaguinha de emprego garantida por mais 4 anos, mas a vaga de emprego depende do partido que entrou no poder. Se o seu partido não ganhou você deve botar uma rolha na boca durante o próximo mandato e, se você sobreviver até o fim, deve começar a brigar por outro candidato e voltar a esperar uma chance de trabalho.
Tenho visto pessoas individadas, desesperadas, sem rumo, pois o partido não ganhou a Prefeitura e em certas cidades do interior não há outra possibilidade de trabalho. O que fazer da vida então? Muito triste esta parte da vida da Nação.
Eu mesma já passei por isto e vendo minha vida sem rumo saí do Brasil, passando estes anos todos na clausura escolhida. Se valeu à pena? Imaginem vocês com que sacrifício valeu à pena. Anos e anos longe da família, trabalhando quase como escrava, sem férias, sem folgas, aliás, com raras folgas....e tem gente que inveja esta posição. Tem quase 200 milhões de brasileiros querendo fazer o mesmo.
Ai como doi deixar o nosso país, ai como doi sofrer na mão destes estrangeiros, muitas vezes esfregando chão, outras vezes querendo ter o dia de Natal livre pelo menos para sair, respirar.... trabalha escrava.......... e dizem que isto é vida.
Claro que financeiramente vale à pena, mas nem só de pão viverá o homem, conhece este ditado? Pois saia do Brasil e você vai saber o que isto significa.

Por Alda Inacio

Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.