06 março 2009

A era das manifestações surrealistas

Nos últimos tempos as manifestações passifistas e exóticas têm ganhado força, marcando lugar na história do mundo de maneira surrealista. Não faz muito tempo Bill Gates, o criador da Microsoft, recebeu uma torta na cara em sua visita à Bruxelas e a cena ficou famosa. Outra cena famosa foi a do ex Presidente Bush recebendo uma sapatada em plena entrevista e desta vez foi o Ministro Britânico do Comércio Peter Mandelson, a receber na cara uma mistura de ovos e tinta verde que realmente deixou nada apresentável sua fotografia diante das câmeras.

Penso eu que estas manifestações pacifistas têm um poder enorme de chamar atenção e marcar os pontos de reividicações para os quais se propõe.

Certas vezes lendo isto repenso minhas palavras neste blog que também chegam a ter um conteúdo surrealista, uma mistura de zombaria, desaforo e até uma certa conotação de vulgaridade proposital. E vejam os senhores que esta forma de comentar pode até ser mal vista, mas se torna suave diante do extremo absurdo da notícia. Parece um desacato à religião falar grosseiramente sobre os disparates preticados nela. Parece um desacato às autoridades falar vulgarmente delas. Parece grosseiro jogar sapato no Presidente, jogar torta no Bil Gates ou líquido verde no Ministro, mas absurdo é calar e deixar as coisas seguirem como estão.
Veja lá outra manifestação surrealista de hoje, o Greempeace botando faixas no Elevador Lacerda na Bahia. Em outra oportunidade até o Cristo Redentor do Rio usou faixas.
Doçura e carinho não vão mudar o mundo, guerras, mortes e violência também não poderão mudar o mundo, portanto, estas reivindicações surrealistas é que tornam o planeta mais convivial e dão esperança de um futuro melhor, simplesmente porque ficamos conscientes que ainda tem gente que se importa em tentar mudar esta droga de vida que nos tentam impor. E então pessoal, descruze os braços, crie um blog, proteste, reivindique, vamos à luta por um mundo melhor, sem medo e sem vergonha.
PS: participar sem exagero, pacifistamente, sem ferir a ordem, sem violência, sem agredir fisicamente pessoas, participar com palavras, com atitudes, como foi o caso de um aluno de mestrado da USP. Eu coloquei o texto lá no SOS Miséria. O que o referido aluno de psicologia fez também foi um ato surrealista que pode nos ensinar a crescer. Dê uma lidinha.
Por Alda Inacio
Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.