26 abril 2009

Antisemitismo e antisionismo, palavras malditas

Eu queria reabrir estes posts com uma palavra positiva, de incentivo, com palavras doces de teor alegre e o que vou fazer contraria meus propósitos. Eu pensei muito sobre este assunto enquanto descansava nestes dias e seria hipócrita se deixasse passar. Mastiguei o assunto, busquei em todos os jornais do mundo nas línguas que falo e em nenhum jornal encontrei o que vou dizer aqui. Portanto, quem ler este artigo saiba que é minha opinião pessoal.

Artigo :
O encontro contra o racismo recentemente ocorrido em Genebra mostrou a face das governanças mundiais, o desencontro e desencanto de políticas globalistas demagógicas, contraditórias, onde as palavras "românticas" destas declarações contra o racismo se chocam contra as ações malfeitas de outrora.

Eu ouso dizer que o Presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad é um homem corajoso, inteligente e o mundo precisa de homens como ele. Enquanto ele tentava explicar o lado racista do dito sionismo, os representantes da Europa levantaram-se e sairam. E isto por acaso mostra respeito e tentativa de união contra o racismo? Ou esta debandada é uma prova concreta de racismo destes mesmos representantes das mesmas Nações que lutam contra o racismo?

Longe de achar que Ahmadinejad seja um santo e mesmo sem apoiar sua política de armamento, e nem de longe me passa a idéia de acusar Israel, digo o que ninguém tem coragem de dizer: o sionismo foi a maior expressão de racismo, xenofobismo da história da humanidade. E porque os governantes não querem ouvir ninguém dizer isto? Porque, logo após a II Guerra, quando Inglaterra, Estados Unidos, apoiados pelo "resto do mundo" prepararam o bendito sionismo, criando o novo Estado de Israel, eles se lixaram para com o povo Palestino que lá vivia. Meteram os Judeus no meio de um fogo cruzado, sem delimitar as terras, ignorando a presença humana ali existente. E hoje, são estes mesmos governantes que não querem ouvir na cara o erro que cometeram.

Que fique claro que minhas palavras aqui não refletem antisionismo, nem antisemitismo, pelo amor de Deus, porque penso que todos os povos devem ter uma pátria, mas que se faça regras e organização para tal e não foi feito. Ainda sobre a minha posição: sou sionista se o Governo de Israel aceitar os Palestinos de igual para igual, povos de religiões distintas com liberdade de expressar sua religião, o que pelo jeito nunca vai acontecer.

O Presidente do Irã tinha o direito de dizer o que disse, sobre o governo racista implantado em Israel mas ninguém quer ouvir. Após Segunda Guerra, Israel passou a ser a menina dos olhos do mundo. Ai de quem falar uma vírgula contra Israel, é mediatamente taxado de antisemita.

Hoje, as guerras que existem na faixa de Gaza, a guerra entre Palestinos e Judeus é culpa de quem engendrou mal o sionismo depois da "shoah", governantes que agora viram as costas para não serem acusados. Qual a condenação de Israel em tudo isto? Não é culpa de Israel este sionismo mal engendrado, mas quem tem coragem de dizer algo? Cala-te boca.


Por Alda Inacio

Nenhum comentário:

Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.