05 agosto 2009

Rebuliço no galinheiro

Era uma vez um galinheiro muito grande com mais de 40 pintinhos, coisa de louco! Neste galinheiro passava-se de tudo, e no poleiro bem lá no alto dormiam alguns pintinhos espertos, Renico que nasceu nas Alagoas, dormia também lá um pintinho chamado Colorico que nasceu no Rio de Janeiro, mas foi eleito pintinho do ano lá no Estado de Alagoas (xiiii, tem algo esquisito nesta estória). No mesmo poleiro colocaram para dormir o pintinho Sarnento.
Não sei porque cargas d'água, certo tempo mais tarde começou a haver um rebuliço no galinheiro e gritaram o "Fora Colorico". Foi um bá-fá-fá, um pega-prá-capá e Colorico foi expulso do galinheiro. Enxovalhado foi morar nos USA. Tadinho, por lá ficou um tempão, até que anos depois, de volta ao quintal da tia Joana, o pintinho Colorico começou a sonhar com o poleiro do alto. Assim sendo candidatou-se a uma vaga e foi eleito no Estado de Alagoas (tem truta nesta estória).
Como estória de pintinhos expulsos do galinheiro dá status, Colorico não teve dificuldade para voltar ao poleiro e lá reviu seus amigos Sarnento e Renico. Não precisa dizer aqui que Colorico não participou do "Fora Renico" para não ferir a honra que só ele sabe que tem. Enfim, cumpadres eleitos pelo mesmo Estado defendem junto a honra da vaca mesmo se ela já foi pro brejo. Mais tarde, quando chegou a vez do "Fora Sarnento" o galinheiro em rebuliço, empurrava daqui, achocalhava de lá, mas Colorico e Renico uniram as mãos para defender o pinto do Maranhão. Enfim, dando as mãos, pensavam eles, formariam uma corrente forte e nunca mais ninguém seria "impichado", destronado, e a Gang do poleiro do alto poderia se apropinar do galinheiro comandando tudo do poleiro lá do alto.
Moral da estória:
Quando pintinho canta de galo, ou a galinha mãe saiu de férias, ou o galo está vestindo saias e usando baton. ©Alda Inacio


Lute contra a pedofilia!

Nenhum comentário:

Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.