16 julho 2010

O menino do lápis preto

Era uma vez um menino que nasceu inteligente e tinha tudo para gozar um futuro brilhante. Tinha mais do que simples inteligência. Tinha vontade enorme de estudar.
Papai do céu, que tudo sabe, relutou antes de enviar ao mundo aquele menino. Era uma alma reluzente, nobre e teria que ser enviado à terra.
O bom Deus pensou e pensou, enfim tomou a decisão sábia: o menino viria para deixar um exemplo no mundo e seria enviado para a casa de Islaine Rodrigues e Ricardo Freire. Assim, chegou o dia tão esperado por aqueles pais. O menino nasceu e foi chamado de Wesley Guilber Rodrigues de Andrade. Que alegria aquela família teve ao ver um menino tão bonito ali entre eles. Pouco a pouco, com o crescimento daquela criança foram vendo que o menino, além de bonito era também inteligente.
Ele ia à escola em tempos em que ainda existiam meninos de rua no Brasil. Em tempos em que tantos meninos ficava perambulando pelas ruas, pedindo esmolas e roubando. Ele não! Ele seria diferente!
Mas no dia 16 de julho de 2010, Wesley com 11 anos de idade tombou morto na sala de aula, vítima de uma bala perdida no Rio de Janeiro, segurando um lápis preto na mão. Este lápis é o símbolo de uma mensagem que o bom Deus enviou. Ergam o lápis bem alto, símbolo do amor pelos estudos, amor pela única forma de tirar da miséria qualquer cidadão deste nosso Brasil brasileiro.
Quantos inocentes ainda terão que morrer como Wesley, frutos da violência neste país?


Por Alda Inacio

Nenhum comentário:

Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.