13 janeiro 2017

Diferença entre o discernimento natural e o discernimento espiritual

Uma das coisas que o crente recebe junto com o Espírito Santo é o discernimento, este é uma ajuda preciosa e vai além do que pode parecer, sendo ele, este tal discernimento, o que nos anima a compreender e saber dissociar o bem e o mal naquele ponto que afeta a alma.

A nossa convivência como cidadãos do mundo é cheia de discernimento que não é ligado ao Espírito, é um discernimento natural do ser humano, porém, o discernimento espiritual é voltado a nos alertar para não tropeçarmos. Alertar para convivermos melhor entre irmãos e na vida em geral. Parece complicado mas não é. Veja que há uma grande semelhança entre o discernimento natural e o discernimento dado pelo Espírito Santo. Um nos ajuda a preservar a vida, o o outro nos ajuda a nos proteger em espírito. 

Deus nos deu a capacidade natural de preservar a vida, temos este cuidado em tudo que fazemos. Cuidados com nossa saúde, com nosso modo de viver,  inato à raça humana. Mas, ao crente, Deus deu algo mais, Deus nos deu um certo discernimento que é necessário para que possamos crescer em Espírito e para crescer em Espírito precisamos saber o que temos diante de nós. Precisamos saber o que a vida nos oferece, ali naquele momento. É também um modo de escolha entre o bom e o ruim.

Por exemplo saber dizer não ao álcool, às drogas, dizer não à atos ilícitos, como roubar, prostituir, matar. Saber a distinção perfeita entre o bem e o mal. Saber que nada disto faz bem para nosso Espírito nos é demonstrado por meio do discernimento. Pensar que não fazemos algo porque é pecado, desagrada a Deus, sim, claro que isto é importante. Temos que ter isto em mente. A Bíblia nos ensina isto. Porém a base desta compreensão vem do discernimento espiritual recebido junto com o Espírito Santo.

Há inclusive a capacitação para sabermos se aquela pessoa que falamos tem que tipo de espírito e isto vemos por meio do discernimento. Só que neste ponto eu já vi pessoas que se achavam cheias de discernimento e metiam os pés pelas mãos ao usar este conhecimento para julgar outras pessoas. É delicada esta parte. Temos que ter cuidado ao usar nosso discernimento para não usá-lo como ponto de julgamento de quem se aproxima de nós. 

Quando você percebe que o irmão não é uma pessoa espiritual e sim carnal, e você terá que conviver com a pessoa, você se limita em relação a esta pessoa, é necessário, porém, deve orar muito por ela, tomando cuidado para não julgá-la, sabe por que? Vou explicar um ponto delicado do crente...O que talvez muitos não percebam.

O irmão fraco e carnal de hoje pode ser um irmão espiritual amanhã, se você o ajudar a crescer.

Paz do Senhor.

Por Alda Inácio

Nenhum comentário:

Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.