16 agosto 2017

Zuera demais na igreja, você gosta?

Olá queridos passantes, irmãos, visitantes, este tema é simples, falar do barulho do crente nas igrejas, tem gente que adora louvar assim, tem outros que não gostam. Muitas vezes eu penso que uma boa quantidade de idosos nas igrejas podem sentir-se meio tontos no meio de som tão alto e de tanto barulho no bom sentido. Porém a esperança do futuro da igreja me parece que centra-se mais nos jovens, encaminhá-los, não deixar que se percam no mundo onde as ofertas do diabo são muitas e jovem gosta de zuera.

Eu mesma me coloco no culto com amor, adoração e respeito ao Deus da minha vida. Eu sou idosa. Tem dias que não estou boa para muito barulho, porém tenho que ir na igreja, tenho que louvar a meu Deus e isto não pode ser um sacrifício, muito pelo contrário, tem que ser um prazer. Já houve tempo em que eu tive que colocar um protetor nas minhas orelhas para ir ao culto. E fui e louvei e ninguém percebeu. São momentos em que tenho que fazer uma escolha e nunca escolherei deixar de ir na minha igreja por motivos fúteis. Quando não vou é por motivos sérios.

As igrejas tradicionais estão todas aderindo a cultos dançados, batem palmas, cantam hinos que dariam um baile, porém eu não condeno, apenas quando vejo que o barulho excedeu os meus sentidos, eu sento, fico acompanhando sentada e meu louvor não se mostra nos gestos e sim na alegria de estar ali.

Outros dias em que estou mais saudável canto, danço, pulo, isto depende do dia e da minha saúde e quem achar ruim eu não estou preocupada com pessoas. Eu sei que o meu Deus me entende e só devo a ele tudo que vai de bom dentro de mim. Foi ele quem colocou tudo de bom dentro de mim e eu quero morrer louvando a este Deus da minha vida. Meu Salvador.

Na vida eu nunca gostei de zuera (barulho) eu gosto do silêncio e no silêncio aprendo com  o Espírito Santo, no silêncio organizo meus pensamentos e minha vida. Deus sempre teve liberdade de entrar no meu silêncio e sempre será bem vindo nele, porém compartilho com irmãos uma igreja barulhenta e amo minha igreja.

Deus seja louvado na sua vida e na minha.

Por Alda Inácio

04 agosto 2017

Inversão de valores: a maior arma de Satanaz na atualidade

Este é um assunto que salta aos olhos de quem observa a sociedade atual atentamente. Este tema observado sob o ponto de vista cristão deve ser analisado pelo meio evangélico com atenção, porque é uma arma das mais fortes de Satanaz e esta arma vai enlouquecer, no sentido de tentar desestruturar, o psicológico de muitas  pessoas sadias no final dos tempos.

O que é inversão de valores?
É valorizar um ato mau com cara de bom; é uma  mentira com cara de verdade.Vista  a princípio como simples mentira, no sentido de alguém se dar bem às custas do outro. É uma mentira contada com uma retórica tão  perfeita, a tal ponto, que a mentira passa a ser verdade aos ouvidos de quem ouve. Você percebe isto nas promessas políticas, porém as práticas se estendem além da fronteira política. Ela está na bodega da esquina, onde tentam nos vender gato por lebre, está nas relações humanas, quando alguém diz que ama porém está só  tentando aproveitar do outro. Está no desamor, desumanidade, desprezo, falta de compaixão das pessoas umas para com as outras.

A inversão de valores começa sorrateira e vai tomando proporções de grandeza e intensidade ao ponto de mudar o valor de uma verdade. A própria pessoa chega a acreditar no que diz. É uma espécie de demência do se-dar-bem e dá prazer imenso a quem  o pratica. 

Seria mais ou menos assim a grosso modo: você está vendo uma parede azul e quer comprar uma tinta azul para repintar a parede, alguém tem a única lata de tinta para vender  de cor verde, a pessoa afirma que aquela cor é azul  e convence você de que você é daltônico e está vendo as cores trocadas. Porém a retórica da pessoa é tão convincente, tão perfeita que você compra a lata verde e sai dali confuso, em busca de um médico para ver se realmente você é daltônico, enquanto a pessoa está estufada de orgulho por ter te passado a perna. Outro exemplo é um atropelamento o motorista foge e deixa no chão morrendo o atropado. O valor da vida do atropelado é zero, enquanto o motorista se livra do processo ou da prisão. 

Afirmações insanas, atitudes desumanas, corrompendo pessoas mal intencionadas que conseguem se se-dar-bem em cima de pessoas simples, sem discernimento, pessoas de pouca instrução e puras que não vêem maldade nos outros. Tem muita gente assim, capaz de aceitar palavras mentirosas bem pronunciadas como se fossem verdades.

Isto não vem de hoje, porém está se intensificando hoje. Lembra da lei do levar-vantagem? Ela faz parte desta doença chamada inversão de valores e está alcançando  patamares absurdos. Estas práticas se intensificaram assustadoramente e são armas do diabo crescente, galopante no mundo em geral. É muito forte aqui no Brasil. Parece que nós brasileiros temos dificuldade generalizada na compreensão de textos, sejam eles falados ou escritos, o que facilita aos aproveitadores usarem e abusarem da boa fé do povo.

Num futuro próximo, temos que ter muito cuidado porque, se hoje o cérebro de alguns dá um nó ao ouvir a inversão de valores, imagina com a intensificação e aprimoramento da prática, o que será de nós? No meio cristão temos um discernimento mais apurado e, graças ao nosso Deus, não nos deixamos iludir por Satanaz. Mas, observe que dentro das igrejas nem todos tem discernimento e estes irmãozinhos (que são uma porcentagem grande) precisarão de apoio extra em futuro próximo, para evitar que eles sejam massa de manobra para a grande apostasia que virá.

Este assunto é complexo, daria um livro após longo estudo; fique atento para você ver com clareza todos os pontos de uma conversa e localizar enal a inversão de valores. Peça discernimento ao  Senhor e Ele te ajudará prontamente.

Que Deus te encha de paz em Cristo Jesus.

Por Alda Inácio




30 julho 2017

Cuidado com o gnosticismo nas igrejas atuais

Eu gosto de escrever numa linguagem acessível, que possa chegar ao conhecimento e compreensão de todos que passam por este espaço, então para falar do assunto de hoje vou iniciar explicando que gnosticismo vem da palavra grega Gnoskein que significa saber.

Uma das bases do pensamento perigosamente gnóstico é dizer que conhecendo a Bíblia, lendo a Bíblia e aprendendo a Bíblia, vamos chegar à Salvação. O saber anulando o sacrifício de Cristo. Este pensamente é contrário ao que o Evangelho prega e sabemos que somente pela aceitação de Jesus Cristo como Salvador é que podemos chegar à obter a Salvação. 

Outro pensamento gnóstico que devemos observar e não aceitar é a ideia de que a carne é má, é fraca é pecaminosa e os feitos da carne  não interferem no Espírito, sendo, que a alma pode ser cultivada enquanto usamos o corpo para o prazer infinito. 

Sobre este ponto Deus nos disse que o corpo (carne) é o templo do Espírito Santo, portanto devemos andar zelosamente na carne em comunhão com o Espírito. Crescemos espiritualmente e conseguimos dominar os ímpetos carnais para uma perfeita comunhão de corpo e alma. É saudável obter harmonia entre corpo e espírito.

Observe  um dos pontos altos do gnosticismo atual: buscar a paz do corpo, mente e espírito por meio de meditações, ou outras práticas Zen na tentativa de chegar aos segredos   da alma, libertando-nos do mal da matéria. O Senhor nos mostra que a oração é o meio de buscarmos alívio para o corpo, mente e alma.

Um dia eu ouvi da boca de uma esposa de pastor que ela tinha um conhecimento tal em forma de discernimento, que só dela olhar para uma pessoa ela sabia se esta pessoa era carnal ou espiritual. Cuidei que nesta afirmação tinha um fundo de gnosticismo. O Senhor nos diz que devemos cultivar o discernimento, porém, este é uma arma secreta para não nos deixarmos enganar por espíritos mundanos, não é um artifício de adivinhação para julgarmos o outro e tampouco para humilhar o outro mostrando nossa superioridade.

Hoje temos gnósticos  declarados nas igrejas, onde as promessas de prosperidade vem acalentar o povo para uma vida em abundância e o povo vai ali para buscar isto, pobre indivíduo que acredita nas palavras ditas por  qualquer pastor. Isto se chama pregação positiva, fidelizando você numa barganha com Deus, onde sua ida na igreja passa a ser para receber em troca a promessa de que sua vida financeira vai decolar. 

Fique a atento. Filtre o que você ouve na sua igreja, eu faço isto e não tenho problema com o que ouço. O Espírito de Deus em mim me deixa inquieta quando a pregação é tendenciosamente gnóstica  e mentirosa e isto me permite apagar do meu cérebro o que escutei. Eu preciso da minha mente livre para aprender a verdadeira mensagem de Deus. Eu preciso do Espírito Santo para intermediar meu aprendizado. Eu dou glória a Deus porque vem dele este aprendizado.

Deus abençoe com sabedoria e amor quem leu este texto.

Por Alda Inácio






Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.