11 setembro 2009

Paixão virtual

Talvez impulsionada pelo coração que anda a mil, tenho vontade de escrever sobre este assunto que de uns anos para cá tem se tornado uma constante no mundo. Amor virtual! Para muitos incompreensível, impossível, inimaginável, irreal, até mesmo anormal. Tem gente dizendo "como é possível amar alguém sem ter visto, sem ter tocado, sem ter o convívio"? Pois é pessoal, tem jeito sim! Encontrar um amor na sala de bate-papo é tão normal como andar pela rua e dar cara a cara com o grande amor da sua vida. Se você vai à uma festa e conhece um montão de pessoas e não encontra afinidade com nenhuma, você passa anos procurando e não encontra um grande amor...coisas da vida! Um dia você entra no salão de Tchat e no meio de milhões de contatos, um em especial desperta sua atenção. Começam a trocar confidências e um belo dia a paixão explode. E olha que a paixão virtual pode ser tão intensa como uma paixão real, olhos nos olhos. Coisa de louco! Dá uma vontade de largar tudo e voar para os braços da pessoa amada. E o mais incrível de uma relação virtual é a fidelidade. Quando o caso é sério, as pessoas encaram a relação com seriedade, com fidelidade real. Impressionante! O grande aliado da relação é o celular. Você pode ligar a qualquer hora, até no meio da noite. Ô lôco! E quando a outra parte não atende o telefone, ou quando está desligado? Dá briga meu! Briga real, bate boca e pode até balançar a relação. Para que a relação virtual dê certo é preciso concatenar cada ponto de contato. Computador com messenger funcionando bem. Celular ao alcance da mão. Disposição para ser contactado a qualquer hora, pois as angústias e medo da perda rondam a relação virtual da mesma forma que na relação real. Quem ainda não viveu uma relação de paixão virtual não pode entender a profundidade que ela nos pega. Eu fui pega! Ai meu Deus! Tô chegando meu amor! Só mais um pouquinho e tô chegando! (rs rs rs... fazer o que?)

Alda Inacio

Luta contra a pedofilia!

Nenhum comentário:

Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.