05 julho 2008

Deus para os Europeus

Hoje lendo sobre religião li também sobre o nome do Deus criador, Deus o Jeová na tradução do hebraico YHWH, Javé, Yonathân, Yahowah, Jéhovah, e tantos outros fonemas, enfim, que tornaram este nome tão misterioso quanto seu proprietário. Interessante é que os Europeus negam a existência do Criador, mas eu nunca vi outros povos pesquisarem tanto sobre religião como este aqui. Talvez estas pesquisas sejam na intenção de buscar comprovação da existência de Deus, pois a fé está ausente destes corações, principalmente na Bélgica. Não podemos dizer o mesmo da Polônia, Portugal e Itália.
No período de 1998 a 2004 eu fui uma participante ativa do movimento de popularização da Filosofia aqui na Bélgique e também assídua participante dos Cafés Filosóficos, que hoje em dia perderam um pouco o calor dos primeiros anos. Para mim, religião é meu assunto preferido em grupo, pela simples razão de ouvir as diferentes interpretações dadas a este tema no mundo. Assim, dentro dos cafés filosóficos 90% dos temas eram sobre religião e isto dava-me um prazer enorme nas discussões.
Verdade que os temas eram levados sempre para o descrédito provados por "x" argumentos, como por exemplo: Maria transou escondido e depois a família inventou uma participação do Espírito Santo e como o povo na época era muito simplório, continuaram a contar esta lenda. Outro argumento é a passagem de Jesus sobre as águas do Jordão, fatos que aqui é contado como uma seca forte no rio que facilitou a travesia. Outro ainda é a passagem dos 40 anos do povo a procura da terra prometida, perdidos no deserto, e ali eles comeram alimentos que o vento levava e não que caiam do céu, assim é contado aqui. Quem conhece a Bíblia sabe que os alimentos caíam do céu enviados por Deus, era o Maná do deserto. Aqui nega-se mesmo a existência desta passagem de 40 anos perdidos.
Lembro-me que numa discussão sobre o assunto, eu me levantei tranquilamente e disse ao grupo: " vocês não acreditam nem no Maná e muito menos que o povo esteve perdido 40 anos no deserto? Pois olhem pra mim, eu estou perdida no deserto desta Bélgica fazem 4 anos e até agora não encontrei a minha terra prometida, estou no meio do deserto deste país que trata o estrangeiro como o cão e vocês acreditam que eu posso passar 40 anos aqui perdida e este povo incrédulo e racista nunca vai mudar e eu continuarei aqui perdida, sem encontrar a terra prometida"?
Neste dia a sala ficou calada, muda e depois disto eu me desiludi com a Filosofia e nunca mais fui discutir. Eu que sempre afirmei minha descrença em religiões e o meu amor pelo Criador tive até que ouvir esta bendita frase "os intelectuais não podem acreditar em deus, você é uma falsa intelectual".
Ora bolas, admitamos que eu seja uma falsa intelectual, mas me dou o direito de expor o que penso e não discrimino ninguém pelo fato de frequentar uma religião, ou acreditar em coisas que eu não acredito. Muito pelo contrário, religião é algo tão pessoal, como vestir, comer, cada um veste o que quer, cada um come o que pode, e Deus é um só, desde que a ele seja acoplado o adjetivo de "criador".

Por Alda Inacio
Que Deus acompanhe você em tudo que fizer. Volte sempre.